Share |

O flagelo dos incêndios florestais fustigou grande parte do país.

Bloco de Esquerda Assembleia Freguesia de Canidelo

 

                                                                             DECLARAÇÃO

O flagelo dos incêndios florestais fustigou grande parte do país. Até Julho deste ano de 2016, o distrito do Porto continuou a ser a área do país com maior número de ocorrências.

É certo que as temperaturas elevadas, a baixa humidade relativa e a velocidade do vento formam por vezes uma mistura altamente incendiária. Mas não ignoramos os perigos das contiguidades de combustível (que decorrem da plantação de 27% de pinheiro bravo e de 23% de eucaliptos contra apenas 5% de carvalhos) nem o peso do negócio do combate aos fogos, os ganhos com a venda das madeiras ou as mãos criminosas que provocam mais de 1/3 das ignições.

É inaceitável que no distrito do Porto, onde se concentra a maior rede de ensino superior, o desordenamento seja a marca principal do espaço florestal e não exista cadastro da propriedade rústica. É imprescindível alargar o domínio público florestal, já que em Portugal 97% das florestas são propriedade privada, com inúmeras parcelas ao abandono ou sem dono registado.

Os municípios nem sempre têm cumprido as obrigações assumidas nos Planos Municipais de Defesa da Floresta contra Incêndios e continua baixíssimo o número de contra-ordenações e outras sanções (menos de 2.500 autos em todo o país) aplicadas pela GNR por falta de limpeza das matas.

A situação dramática vivida pelas populações afectadas pelos fogos, a devastação do coberto vegetal (o país está a perder dez mil hectares de floresta por ano), os brutais prejuízos materiais, os danos ecológicos e outros impactos dos fogos florestais no distrito, levam o Bloco de Esquerda, nesta Assembleia de Freguesia, a manifestar a sua solidariedade às populações atingidas pelos incêndios, a saudar os bombeiros pelo esforço e empenhamento manifestados no combate tão difícil contra os fogos florestais e a defender, como têm feito muitos dos seus autarcas e outros activistas, que a implementação de medidas preventivas constitui o melhor meio de fazer frente aos fogos florestais.

Canidelo, 26 de Setembro de 2016

A representante do Bloco de Esquerda Maria João Macedo